terça-feira, 13 de outubro de 2015

Vai ter cabelo crespo e amor próprio, sim!

  Como uma jovem que tem acesso as redes sociais, curte música e conhece um pouco das pessoas do meio artístico, eu não pude deixar passar um fato que aconteceu há dez dias com uma boyband brasileira. Mais especificamente um comentário de um dos integrantes para uma revista adolescente.
  Em uma entrevista feita para a revista Atrevida em janeiro, um dos integrantes da banda Fly deu sua opinião sobre mulheres que usam trança nos cabelos. Disse que era uma boa opção para quem tem cabelo ruim. O comentário teve maior repercussão esses dias e foi muito criticado.
  Não serei mais uma a dizer se ele quis ou não falar sobre o cabelo afro. Não serei mais uma a me indispor com as fãs do cidadão já que eu mesma já me vi como alguém que o admirava e gostava muito de seu trabalho. Estou aqui para dar mais um discurso, um tanto quanto batido, sobre a beleza única que todo mundo tem.
  Eu definitivamente não sei o quanto o comentário te influenciou. Eu não sei dizer se você começou a pensar que você tem mesmo um cabelo ruim só por ele ser crespo ou se você ignorou o comentário e ficou com a autoestima intacta. Eu só quero dizer que não importa o dia, se é o seu bad hair day ou se é um dia onde você esteja se sentindo a Beyoncé com seu cabelo lindo. Não interessa o momento, lembre-se sempre de que você é linda de qualquer jeito. Com ou sem cabelo crespo, com ou sem batom vermelho. Você é linda.
  Desde que me conheço por gente meu cabelo natural é cacheado. Nunca fui muito com a cara dele. Achava-me a pessoa mais feia e ridícula existente no universo com aquele cabelo e sentia que provavelmente nunca seria amada por ninguém se continuasse daquele jeito. Aos onze anos de idade, alisei. Minha mãe, vendo meu sofrimento, deu-me essa opção. Agarrei-me fortemente na ideia de que se eu tivesse cabelos lisos, talvez alguém pudesse se apaixonar por mim. Então os cachos sumiram.
   Alguns anos depois de ter tirado meus cachinhos, sinto falta deles. Sinto falta das ondas fortes que demonstravam traços visíveis de minha pequena e mal formada personalidade. Eles se foram, mas junto deles veio uma lição de moral que talvez, se eu não tivesse feito o que fiz, não aprenderia na prática. Depois de ter tirado as ondulações, eu entendi que ninguém vai me amar pelos padrões impostos. As pessoas vão gostar de mim pelo o que sou por dentro. E digo mais, elas só vão gostar de mim se EU me gostar primeiro.
   Moça, não deixe que alguém tire alguma parte de você por considerar feia ou por achar que não se encaixa em algum lugar. Não deixe que as pessoas tirem uma parte de você só por achar que você ficaria mais bonita aparentemente sem ela.

  Amiga, seja você mesma e se sinta bonita por ser assim, pois uma desconhecida está te falando isso e essa desconhecida não gosta de mentir. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário