quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Eu queria tanto falar com você...

  Acordo pela manhã e me olho no espelho. Sem que ocorra o ato de parar e pensar aleatoriamente sobre a minha cara logo após acordar, a única coisa que penso é que há mais um dia pela frente.
 Após este pensamento, eu penso em tudo que eu terei de passar durante o dia e agora a única coisa que vem até mim é a saudade que sinto de você. É triste admitir, mas você me faz falta.
 Eu sinto falta de receber suas ligações e de ter com quem conversar sobre coisas diferentes e que não estão dentro do “mundo maravilhoso da adolescência de uma mulher”.
 Eu sinto falta de conversar sobre o que eu sinto ou de simplesmente ficar calada durante uma hora só ouvindo a sua respiração ou seus ruídos de risadas. Eu sinto falta de passar uma boa parte do meu dia ouvindo sua voz e discutindo sobre o quão idiota tudo isso que eu sinto é (mesmo que você ache que não é idiotice).
 Querendo ou não, você me traz boas lembranças. Eu queria continuar criando lembranças de uma amizade que poderia durar muito, mas o tempo, a vida e outras coisas mais, não permitiram que isso acontecesse.
 Eu sinto falta de te ter aqui perguntando se eu estava bem e – mesmo quando não ligava para meu estado – tentava me ajudar ao máximo. Na verdade, só de estar ali comigo, você já me ajudava muito.
 Eu sinto falta de ouvir um “Mano, cê já tomou seu buscopan hoje?” ou “eu desliguei aquela chamada porque queria conversar com você” ou o famoso: “Eu não vou assistir game of thrones, cara!”. Eu me lembro de muitas coisas sobre nossas conversas, acredite.  

 Eu sei que o discurso é o mesmo que sempre uso, mas é só isso que eu consigo dizer a você: Cara, você faz uma tremenda falta aqui e eu queria ter você de volta. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário