quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Uma divagação sobre meu vício e você

Vício. Cada um tem o seu. Uns são viciados em nicotina, outros em álcool, outros em maconha e cocaína. Mas eu escolhi me viciar em você. Cada um se mata a sua maneira. 
 Eu, como toda a boa viciada, sabia que o vício não era bom. Aliviava, deixava mais leve, mas ia me matando por dentro e por fora.
 Até que eu te deixei algumas vezes. Sempre voltava, mas da última vez eu realmente queria sair dessa vida. Lutei até certo ponto e consegui até certo ponto. Até que eu tive uma ressaca gigantesca.
 Ressaca é um saco. Sério. Você provavelmente deve saber como funciona já que, pelo o que sei, você já tomou um porre e, provavelmente, ficou de ressaca no outro dia.
 A ressaca foi tensa e intensa, mas passou rápido. O problema veio depois... A abstinência.
 Abstinência foi o que me fez chorar quase uma noite inteira e que me fez cogitar coisas absurdas a se fazer. Abstinência de você foi o que me fez escrever isso.
 Eu sabia que eu não me livraria de você tão cedo, logo, eu estava totalmente sujeita a retornar a você. E foi o que aconteceu.
 Para a minha sorte, a abstinência passou rápido e agora eu tento com todas as minhas forças me distanciar ao máximo. Inclusive, eu me sinto extremamente cansada com relação a você.
 A abstinência passou e a ressaca também. O que me resta agora é somente o extremo cansaço e a nossa história que sempre ficará guardada comigo. Foi uma bela história nublada. A melhor, eu acho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário