segunda-feira, 4 de maio de 2015

Menta, chocolate e céu.

  Sentia o cheiro de menta misturado ao de chocolate de longe. Desde o momento em que estacionou o carro, as três e trinta e três da madrugada, um pouco mais a frente do poste de luz da sexta avenida até chegar de baixo dele, onde ela estava parada e esperando a vida passar.
  Estava com as costas e um pé encostados no poste, mascando um chiclete de menta, - que ela declarava a todos como seu preferido - com fones de ouvido altos e olhando para o céu que estava escuro e sem nenhuma estrela.
   Ao sentir sua aproximação, a mesma não tirou os fones. Continuou com o mesmo ar de “eu não ligo” de sempre. O mesmo, já sabendo que essa seria sua reação, tirou-lhe o fone direito de seu ouvido e lhe deu um beijo tímido junto à orelha da jovem.
   -Você sabe que fica uma graça escorada nesse poste, né? – sussurrou o jovem ainda bem próximo a garota.
   -São seus olhos, docinho. – respondeu ela sorrindo.
   Não sabiam bem o que fariam agora. Mal sabiam o motivo de estarem ali, naquele lugar.
Ela estava, pois adorava ficar pela sexta avenida de madrugada. Dizia que aquele era o melhor lugar e o melhor horário para se observar o céu. Ele só estava lá por conta dela. Ela o puxava para qualquer lugar e a qualquer hora do dia. Não importava se o chamado dela era feito às onze da manhã ou às quatro e cinquenta da madrugada. Se ela estava lá, ele também estava e ponto.
    -O céu está lindo, não? – perguntou ela tirando o fone esquerdo do ouvido e guardando o mesmo no bolso de seu casaco.
    -Está. – respondeu ele puxando a menina para junto dele e se posicionando e a abraçando pelas suas costas. - Pra você, o céu está sempre lindo.
    -Pra você não? – questionou a garota. – Se tem uma coisa que essa imensidão que chamamos de céu é, é lindo.
    Ao ouvir essa pergunta, o jovem logo colocou um sorriso em seu rosto e apoiou o queixo no ombro direito da menina.
   -Se eu seguir sua lógica, sim. O céu é sempre lindo. – respondeu o jovem no ouvido da menina. – Você ama o céu e eu te amo. Você sempre acha o céu lindo e eu acho que você está sempre linda. Você, seguindo seu pensamento, é meu céu. Então, sim. O céu é a coisa mais perfeita que eu já vi.
   A garota se virou para ele e sorriu.

  - Eu tenho dois céus, sabe? – disse ela encarando-o – Essa imensidão e você. Que faz todo o trabalho dele em minha vida. Eu te amo e espero que você continue sendo meu céu por muito, mas muito tempo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário