segunda-feira, 13 de abril de 2015

Vivi meu romance. Ou melhor, tentei vivê-lo.

 Eu passei certo tempo tentando entender o que estava acontecendo comigo, pois minha vida estava de cabeça pra baixo e eu não conseguia tirar nenhuma palavra para que pudesse expressar tudo o que quisesse.  Mas hoje, pela grande piedade de Deus, eu consegui traduzir um pouco do que eu estou sentindo.
 Confesso a você, caro leitor, que eu nunca passei pelo o que estou passando pelo último mês e, ao contrário do que costuma acontecer, eu não estava nem um pouco preparada para isso.
 Nesses últimos dias eu pude perceber algumas coisas, e nada seria mais justo do que contar a vocês o que eu aprendi, já que vocês conhecem uma boa parte de minha vida.
 Para que vocês se situem melhor no que estou passando, digamos que eu fiz o que prometi. Eu tentei viver o meu próprio romance e não somente consumir o romance alheio, apesar de eles serem muito melhores que os meus.  E para variar só um pouco, eu quebrei minha cara novamente.
 Sabe amigo, algumas vezes acontece algo de diferente na nossa vida e por conta desse algo diferente, a gente acredita que tudo vai começar a dar certo e tudo vai se por no lugar onde nós achamos que as coisas deveriam estar. Mas já foi provado mais de uma vez que as coisas não necessariamente têm de estar onde nós queremos que elas estejam para que elas fiquem no lugar certo. E essa foi uma das lições que a vida me deu nos últimos tempos, mesmo ela sendo minha conhecida de longa data.
 Outra coisa que não posso deixar passar em branco é o fato de sempre que a gente se apaixona, nós achamos que essa pessoa é a exceção para todos os desastres amorosos nas nossas vidas. E isso pode até ser verdade... Se ela realmente for o amor da sua vida, coisa que meu último “amado” realmente não era e nem passará perto de ser algum dia pra mim.
 Quero deixar um pequeno conselho a você que está lendo isso agora. Cuidado com seus amores. É bom amar e se machucar algumas vezes, mas não sempre. Não serão todos os seus amores que virão a ser a grande exceção da humanidade. Cuidado, meu querido, eu realmente não quero que você se fira como sempre acontece comigo.
 Aprendi muitas coisas nessa minha última aventura, que com certeza foi a que caminhou mais longe, mas isso não é assunto pra uma só conversa. Volte aqui mais tarde. Prometo que eu tentarei explicar tudo o que consegui aprender nessa minha última experiência.
 Obrigada pelos minutos perdidos de sua vida para ler isso.
 Volte sempre.



Nenhum comentário:

Postar um comentário