sábado, 25 de abril de 2015

Maioridade penal, diminuir ou não? Minha opinião.

(Foto: Alexander Raths/Shutterstock)

  Ontem estava em uma aula de produção textual onde eu e meus colegas respondemos uma questão muito polêmica ultimamente. Deve-se ou não diminuir a maioridade penal? 
  Este é um tema que tem sido discutido muito e eu, como uma pessoa que ama dar opiniões, resolvi dar a minha sobre o assunto. Tive medo de fazer isso, confesso, mas eu creio que uma discussão saudável entre nós, nos fará bem.
 Houve um debate muito grande entre os alunos da classe. Alguns concordavam em diminuir a idade e outros não. Outra parte dos alunos, na qual eu me incluo, ficou no “meio termo”.
 Em minha opinião, a maioridade penal não deve ser diminuída ao ponto da maioridade da Inglaterra, dez anos, por exemplo. Creio que nós não tenhamos suporte para tal.
 Caso haja a redução da maioridade penal, pesquisas dizem que o sistema carcerário pode vir a ter 32 mil presos a mais em um ano. Quantidade que nosso sistema com certeza não suportará, pois hoje ele já não suporta.
 A nação clama por mais segurança, sim. Mas se colocarmos um jovem de menos de dezesseis anos em uma cadeia, que tipo de cidadão será forjado? Que tipo de reintegração haverá quando ele sair de lá? Não é segredo a ninguém o fato de que se uma pessoa foi presa, as dificuldades para ela só crescem.
 Coloca-se o adolescente dentro de uma prisão por algum tempo, pois ele tem de ser reeducado a partir de seu ato para que depois seja reintegrado novamente na sociedade. Mas quando o jovem sair da cadeia, quais as chances de haver a total reintegração dele do lado de fora?
 Do mesmo modo em que penso que a redução da maioridade não deve ser feita, penso que, se um jovem de dezesseis anos tem a opção de votar e opinar sobre os governantes e até mesmo sobre o cargo presidencial, qual a razão de ele não poder responder por seus atos?
 Uma pessoa que ajuda a escrever a história do país, e ela tem esse direito, em minha opinião, pode responder por seus atos perante a lei. Se ela tem direitos preservados, os deveres também tem de ser.
 Para que haja a redução da maioridade penal, primeiro se deve resolver os problemas do país. Deve haver um investimento maior em educação, divisão não tão ruim da renda, melhora no sistema carcerário que não suporta mais presos... Deve-se observar melhor e mais as raízes da criminalidade para que não haja tanta criminalidade assim no país. Não só entre jovens. Também no meio dos adultos.
 Quem sabe assim, a ideia de haver a redução da maioridade penal vire apenas uma discussão antiga e ultrapassada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário