sábado, 18 de abril de 2015

Eu não ligo

Se você o vir na rua, mande-o ir se ferrar. Com todas as palavras desta oração.
Se você o vir na rua, não pergunte sobre ele ou sobre a mãe dele que era muito minha amiga e nem fale sobre mim. Só o mande ir se danar e saia andando.
Eu não quero que você fale que eu consegui terminar aquele livro excepcionalmente grande, ou que eu estou assistindo aquela série que ele gostava muito. Eu não quero, e muito menos preciso que ele saiba de alguma coisa de minha vida.
 Eu também não quero saber se ele apagou meu número do celular dele ou ele anda tomando os remédios que tinha de tomar. Eu não ligo mais pra ele.
 Eu definitivamente não estou nem aí se ele pagou a conta de luz dele em dia esse mês ou se ele ainda fecha metade das janelas quando venta somente para ouvir o som do vento. Eu não quero saber. Não estou nem ai e nem mais na vida dele.
 Há mais ou menos um mês, eu decidi que iria continuar a minha vida e não me preocupar mais com ele. Decidi sorrir pelo aleatório e chorar só pelo o que vale a pena. E ele não vale nenhum pouco a pena.
 Eu perdi tanto tempo tentando me colocar em uma posição que o fizesse notar o que ele havia perdido... Mas percebi que não vale a pena. Ele não vale a pena.
 Estou feliz e espero que ele também esteja.

 Mas também se não estiver... Eu não ligo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário